28 Jun 2017, 1:53 pm

CD Review: Phrenesy – The Power Comes from the Beer


Phrenesy – The Power Comes from the Beer (Independente – Nacional) – Nota: 8

Phrenesy

Texto por Clovis Roman

O nome da banda e o título do disco, The Power Comes from the Beer, já indicam o caminho. A longa instrumental logo na abertura, com “Dirty Game”, sugere que ouviremos muito Thrash Metal (ou Thrash Pilsen, de acordo com trocadilho dos próprios) nos próximos 42 minutos. Apesar do estilo ser predominante, o Phrenesy também aposta em riffs mais velozes e bateria triturante, indo rumo ao Death. E essa mescla funciona bem demais. Afinal, há peso em abundância e o vocal não cai no terreno pantanoso do Thrash, onde boa parte dos vocalistas são na verdade “gritadores com raiva”. Aqui o vocal mais próximo do gutural encaixou como uma luva, realçando a rispidez sonora. Quando tenta soar mais gritadão, fica abaixo da média, como em trechos de “Exploding in Rage”.

Mas há de se frisar que isso é um dos inúmeros fatores que compõem o álbum. E todos os outros são irretocáveis. Afinal, os caras dominam bem seus instrumentos, há riffs certeiros em profusão e zilhões de partes propícias ao slamdancing, pogo e rodinhas de quebração, além de muito peso e solos a velocidade da luz. A gravação é ótima e a arte gráfica é igualmente bem feita. Apesar de ter 13 anos de existência, esse é o álbum de estreia da banda radicada em Brasília. Antes, eles haviam lançado algumas demos, uma que leva o mesmo nome desse disco, em 2007; e a genialmente intitulada Do You Like Mocotó???, de 2005.

E por fim, as letras do grupo merecem parágrafo a parte. Afinal, são hilárias, como “Never Forget The Beer Of Your Girl”. O texto relata o sofrimento dum rapaz que não providenciou as cervejas de sua garota, e agora vai levar uns tabefes da mesma por ter falhado na missão. Ou então a faixa título, que tem a sóbria (perdão pelo trocadilho) frase “Think a little less and drink a little more”. Profundo. Até mesmo as mais sérias tem lá sua graça, afinal, o refrão de “A Song of Truth” é “Fuck, Fuck Shit”. Fuck, inclusive, é palavra constante por aqui. E sendo assim, foda-se: apenas ouça o disco. A diversão é garantida.

Cerveja!!!

MÚSICAS
Dirty Game
Destroyed
Exploding in Rage
F.U.C.K (Fornicating Under Consent of King)
The Power Comes from the Beer
Never Forget the Beer of Your Girl
A Song of Truth
Fuck You with Your Lies
This Is Extreme
Contra Tudo. Contra Todos

Reviews

Postado em fevereiro 8th, 2016 @ 10:09 | 539 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»