3 Jun 2020, 3:13 am

CD Review: RedRazor – The Revolution Continues


Thrash Metal catarinense com atitude

por Adriano Purcino

Nossos “vizinhos” de Santa Catarina , mais precisamente de Florianópolis, estão chegando ao seu segundo álbum intitulado The Revolution Continues.

E o Thrash Metal praticado pela banda continua mais afiado do que nunca, bem aos moldes das bandas dos anos 80 e, em alguns momentos, temos até algumas partes mais extremas no som. Colocando o cd pra rolar, a qualidade da produção já chama atenção pela qualidade, tudo bem dosado pra valorizar todos os músicos, o disco foi gravado, por Alexei Leão no AML Estúdio, em Florianópolis. A capa do álbum foi criada por Andrei Bouzikov (Municipal Waste, Violator, Toxic Holocaust, S.O.D., Autopsy, entre outros).

A faixa título abre o álbum de forma energética, pancadaria rápida e técnica, já demonstrando o excelente domínio técnico dos músicos e contando com uma letra ao mesmo tempo descontraída e relevante ao mesmo tempo, o tema? Cerveja, claro, Thrash Metal que se preze tem de falar de cerveja, porém, aqui com uma abordagem diferente, sugerindo o apoio as cervejarias artesanais, isso mesmo, aqui temos um trecho que diz:

“Apoie suas microcervejarias locais
Cerveja feita à mão, não apenas máquinas
Levante a bandeira contra as grandes corporações
Faça cerveja em casa e liberte-se”

Excelente ideia, não?

Na sequencia temos uma clara homenagem ao AC/DC, uma “versão Thrash Metal” de For Those About to Rock, aqui ficando For Those About to Thrash. Mas que fique claro que, não se trata de uma cover, apenas utilizaram a letra como referencia. No mais, um puta Thrash com excelentes riffs, algumas quebradas e até uns blast beats bem colocados.

Em Violent Times o lado político da banda fica explicito em sua letra tratando do aumento da violência contra a população das periferias, guerras motivadas por fanatismo religioso, etc. Umas das melhores músicas do disco tanto pela sua letra quanto pela sua qualidade instrumental.

Born In South America é uma faixa com o groove fantástico, riffs matadores junto de uma cozinha esmagadora, tente ouvir e não balançar a cabeça. Aqui a letra tem o tema abordando a exploração do nosso continente nos últimos 500 anos.

A próxima faixa temos a posição antifascista da banda denunciando o processo de ruptura com a democracia pelo qual o país tem passado desde 2016. Essa faixa tem uma pegada mais extrema com passagens de blast beats, bem condizente com o tema da letra. Instrumental sensacional com uma linha de baixo matadora.

Em, Sour Power e Brewtal Mosh a veia cervejeira da banda volta a ativa e entrega duas faixas pra abrir as rodas de mosh e se divertir muito curtindo o som e tomando aquela gelada.

E para fechar o álbum, temos The Sadist, mais um dos destaques do disco, uma pancadaria com excelentes riffs numa faixa sinistra sobre Peter Kürten, um serial killer alemão conhecido pela alcunha de “Vampiro de Düsseldorf”, o qual praticou uma série de crimes, entre estes, assaltos, assassinatos e abuso sexual contra adultos e crianças, entre fevereiro a novembro de 1929 na cidade de Düsseldorf. Uma maneira pesadíssima de fechar o álbum, tanto instrumentalmente quanto liricamente falando.

Um álbum breve, com 30 minutos apenas, mas, com qualidade o suficiente para você querer dar o play mais algumas vezes. Excelente lançamento brazuca para agregar aos grandes lançamentos do Metal Nacional de 2019.

NOTA: 08/10

Videos:

Red Razor – Born in South America

Red Razor – Violent Times (Lyric Video)

Reviews

Postado em dezembro 15th, 2019 @ 13:22 | 969 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»