21 Aug 2019, 4:07 pm

Dee Snider Brilha Em Show Solo No Tom Brasil


Dee Snider e banda vieram ao Brasil para divulgar o excelente For The Love Of Metal

Texto: Bruno Buys

Fotos e revisão final: Renato Jacob

Após a aposentadoria do Twisted Sister, a tresloucada banda na qual Dee Snider conquistou o mundo vestido de mulher, o inquieto vocalista formou um novo grupo e voltou à ativa. Além de outros projetos paralelos, a agora banda Dee Snider trouxe a nós ávidos fãs o álbum For The Love Of Metal, lançado no final de julho de 2018. O referido álbum elogiado pela crítica e muito bem recebido pelo público é intenso, pesado, dramático, atual e com cara própria, sem saudosismos.

Esse show que cobrimos no dia 23 de março no Tom Brasil, em São Paulo, integrou a atual turnê Latino-Americana da banda que incluiu em seu roteiro as cidades de Lima no Peru, Curtiba e São Paulo no Brasil e as cidades de Santiago no Chile, Buenos Aires na Argentina e Aguascalientes no Mexico.

Dee Snider esbanjando carisma no início do show em São Paulo.
Dee Snider saudando o público no show de São Paulo

Abrindo a noite tivemos a apresentação do trio curitibano The Secret Society, com seu hard rock pós-punk, um tanto quanto gótico. O carismático baixista e vocalista Guto Diaz lidera a banda e busca imprimir uma encenação dramática, interpretando as músicas e teatralizando os seus vocais. Acompanhado pelo guitarrista Fabiano Cavassin e o batera Orlando Custódio, a banda tocou para um público pequeno, e ainda frio, embora com profissionalismo e empenho e obtiveram um feedback positivo da plateia. O The Secret Society está preparando o primeiro álbum full-lenght da carreira e teremos um enorme prazer em resenhá-lo posteriormente quando o trabalho estiver pronto.

O emblemático Guto Diaz da banda The Secret Society
Guto Diaz: vocalista e baixista do The Secret Society.

Após a tradicional meia hora para a troca de equipo, pontualmente às 22h05, entra em palco o insubstituível Dee Snider, o homem, a lenda. Vibrando e pulando feito uma pipoca, vestindo uma camiseta da Britney Spears com o logotipo “Britney” meio death metal, o super frontman e sua nova banda de jovens músicos iria desfilar os petardos do novo disco For The Love Of Metal juntamente com sucessos de décadas de sua famosa ex-banda, o Twisted Sister. Até mesmo uma música do Widowmaker, grupo no qual Dee cantou nos anos 90, entraria no repertório.

No momento em que o playback tocou a música Exciter do Judas Priest e a banda entrou em palco ainda ao som do Judas, que foi dando um fade out, e sem mais delongas, abriram com Lies Are A Business, do novo álbum. Um petardo, já dizendo a que veio! Seguiu-se Tomorrow’s No Concern, também do novo álbum. A banda que o Dee reuniu é excelente, com destaque para os dois guitarristas, Charlie Bellmore e Nick Petrino, que se dividem em bases e solos. Além deles, há também o baixista sueco Joakim Agnemyr (e não Russell Pzutto, como vi creditado por aí na internet) e o batera Nick Bellmore, este último irmão do guitarrista Charlie.

Em palco, Dee Snider é um monstro. Não existe idade para ele. Pulava, corria, cantava, gritava, entusiasmava. Foi contagiante! A casa, que estava com cerca de 85% do seu espaço tomado, pulava e cantava junto, e Dee agradecia, e pulava mais ainda!

Dee Snider: entrega total no show de São Paulo.
Dee Snider: potência na voz!
Dee Snider: presença de palco invejável.

O show seguiu com um clássico do Twisted Sister, You Can’t Stop Rock ‘N’ Roll, e os roqueiros seniors alucinaram. Para muitos, You Can’t Stop Rock ‘N’ Roll ao vivo era um sonho realizado! O Twisted Sister veio ao Brasil em três ocasiões, entre 2009 e 2013, sendo que nessa época já era uma reunion, uma vez que a banda debandou em 1987. Nada contra, é claro. Mas infelizmente eu não fui um dos abençoados que presenciou alguns desses shows.

Dee Snider (a banda) prosseguiu o show mesclando músicas clássicas do Twisted Sister e novas do último álbum. Foi a vez agora de American Made, que foi alterada para um refrão Brazilian Made. Ao que parece eles têm feito esse mimo ao público. Em Sydney, Austrália, também rolou um Australian Made. É claro que fez sucesso e todos cantaram junto no microfone que o Dee oferecia ao público.

Sem deixar cair o ritmo, engataram Burn In Hell, sonzaço do Stay Hungry (1984), o disco mais bem-sucedido da carreira do Twisted Sister, cantada em coro por um Tom Brasil pulante e delirante. Era uma verdadeira festa do bom e velho rock and roll!

Em seguida, tocaram I Am The Hurricane, faixa integrante do novo trabalho. O curioso é que o público – imagino que a banda tenha suposto o contrário – já conhecia bem as músicas do novo álbum e as cantava no show. Claro que não cantavam com a mesma paixão que cantavam os clássicos imortalizados pelo Twisted Sister, mas definitivamente a recepção ao disco novo foi ótima e todo mundo na audiência falava muito bem das novas músicas. E é realmente um disco direto ao ponto, sem passagens desnecessárias, intenso, criativo e pesado. Infelizmente, Mask, minha preferida do novo trabalho não foi tocada. E dei azar também com as do Twisted Sister: gritei o show inteiro pela S.M.F., mas não rolou. Fazer o quê…

Nick Petrino: o frenético guitarrista da banda de Dee Snider e um dos destaques do show.
Charlie Bellmore: guitarrista da banda de Dee Snider e um dos destaques do show.
O baixista sueco Joakim Agnemyr tocou e agitou muito ao longo de todo o show.
Nick Bellmore: o baterista da banda de Dee Snider.

Ready To Fall foi a música do Widowmaker escolhida. Pesadaça e interpretada com total domínio pelos jovens músicos. Seguida da balada The Price, um dos pontos mais altos e emocionantes do show. Um momento emotivo, acentuado pela cadência mais lenta da música, e de repente no telão surge a imagem do Dio! Enquanto a audiência esperava para ver do que se tratava, a explicação se tornou clara com a sequência de imagens de astros do rock (ou “our heroes” como mencionado pelo próprio Dee Snider) já falecidos que começou a surgir no telão. Em toda a sequência, apareceram as imagens de: Dio, Bon Scott (AC/DC), Tim Kelly (Slaughter), Eric Carr (Kiss), Jai Lane (Warrant), Freddie Mercury (Queen), Dave Brockie (GWAR), Gary Moore, Clive Burr (Iron Maiden), Cliff Burton (Metallica), Phil Lynott (Thin Lizzy), Jimmy Bain (Rainbow) juntamente com Dio, Dimebag Darrell (Pantera), Robbin Crosby (Ratt), Kevin DuBrow (Quiet Riot), Lemmy (Motorhead), Malcolm Young (AC/DC), Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave), Randy Rhoads (Ozzy), Bernie Tormé (Desperado, Ian Gillan) e A. J. Pero (Twisted Sister). Somos gratos ao nosso colaborador Giovani Marcello que também estava presente no show e fotografou com o celular todos os homenageados na música The Price o que permitiu a posterior identificação de todos os músicos.

A banda do frontman Dee Snider mostrou bastante entrosamento no palco.
Dee Snider em São Paulo!

Pero. A. J. foi o batera do Twisted Sister, falecido em março de 2015. Quando o Dee mencionou o A. J., o público veio abaixo, gritando e aplaudindo. Grande A. J.! Segundo o próprio Dee, o A. J. era um trabalhador frenético das baquetas, não parava, tinha projetos paralelos, nunca recusava um show. Assisti ao Twisted Sister em julho de 2015 no Rockfest Barcelona. A morte do A. J. tinha meses. Mike Portnoy assumiu as baquetas e a banda inteira ainda estava sob o impacto do recente falecimento do músico. Fotos dele no telão foram passadas e ao som da mesma The Price, o Dee rendeu-lhe várias homenagens. Ao que parece, para estes recentes shows, o conceito foi ampliado para homenagear também diversos outros grandes nomes da música que perdemos. Um momento muito emotivo e inesquecível, ao som da linda The Price.

Este sentido de homenagem é uma constante. O próprio disco For The Love Of Metal traz uma mensagem forte de homenagem, pela música principal, cujos versos vão citando grandes composições de Judas Priest, Iron Maiden, Slayer e do próprio Twisted Sister. Possivelmente, por esse motivo a banda tenha entrado no palco ainda sob o som de Exciter do Judas, criando assim uma atmosfera de pertencimento, de família.

Seguiram-se Become The Storm, ponto alto do novo disco, rápida e pesadaça, com uma bela mensagem. A julgar pela reação explosiva do público, era a mais esperada. Seguida de Under The Blade, outro clássico do Twisted Sister, do disco homônimo de 1982. Muito conhecida, foi cantada por todos. E o Dee agradeceu muito. Já seguindo para o final do show, vieram a emblemática I Wanna Rock, que contou com muita interatividade da plateia incluindo o tradicional coro com o microfone que Dee costuma apontar para a audiência. Foi uma versão matadora!

Dee Snider
Dee Snider

No bis, Dee Snider voltou, agradeceu mais uma vez o entusiasmo de todos, prometeu novamente aprender português e pediu ao público que vibrasse muito, pois estavam gravando um vídeo e iriam executar novamente a música Tomorrow’s No Concern. Foi plenamente atendido com a energia de todos, que acompanhavam o câmera com gritos e mãos, gerando boas cenas. Em seguida, Dee apresentou a banda e tocaram a ótima For The Love Of Metal para o fim da festa. Um total de 1h15 de show, não podiam ter estendido um pouquinho mais? S.M.F. não iria fazer mal a ninguém… For The Love Of Metal!

Somos imensamente gratos a Top Link Music e a querida Miriam Martinez pela confiança e credenciamentos gentilmente concedidos.

Dee Snider

Setlist The Secret Society

  1. Beyond The Gates
  2. Fields Of Glass
  3. Mefistofaustian Transluciferation (A Map For A Lonely Man)
  4. The Final Cut
  5. Rites Of Fire
  6. Rubicon
  7. The Architecture Of Melancholy
  8. Cry For Love (Iggy Pop Cover)

Setlist Dee Snider

Exciter (Judas Priest) – Introdução

  1. Lies Are A Business
  2. Tomorrow’s No Concern
  3. You Can’t Stop Rock ‘N’ Roll
  4. American Made
  5. Burn In Hell (Twisted Sister)
  6. I Am The Hurricane
  7. We’re Not Gonna Take It (Twisted Sister)
  8. Ready To Fall (Windowmaker)
  9. The Price (Twisted Sister)
  10. Become The Storm
  11. Under The Blade (Twisted Sister)
  12. I Wanna Rock (Twisted Sister)

Encore

13. Tomorrow’s No Concern

14. For The Love Of Metal

Dee Snider em São Paulo!
Dee Snider entretendo o público.
Dee Snider esbanjou energia na apresentação de São Paulo.
Nick Petrino: o frenético guitarrista da banda de Dee Snider e um dos destaques do show.
Charlie Bellmore durante a execução de Burn In Hell. A iluminação neste momento do show estava completamente vermelha.
O baixista sueco Joakim Agnemyr tocou e agitou muito ao longo de todo o show.
Nick Bellmore: o baterista da banda de Dee Snider.
Dee Snider
Nick Petrino: o frenético guitarrista da banda de Dee Snider e um dos destaques do show.
Charlie Bellmore: guitarrista da banda de Dee Snider.
Charlie Bellmore durante a execução de Burn In Hell. A iluminação neste momento do show estava completamente vermelha.
O baixista Joakim Agnemyr esbanjou presença de palco e fez um ótimo show.
Dee Snider em São Paulo!
Charlie Bellmore: guitarrista da banda de Dee Snider.
Dee Snider
Dee Snider
Dee Snider: potência na voz!
Dee Snider saudando o público em São Paulo!
Dee Snider em São Paulo!
Guto Diaz com o The Secret Society.
Fabiano Cavassin: guitarrista da banda The Secret Society.
Orlando Custódio: baterista da banda The Secret Society.
Guto Diaz com o The Secret Society.
The Secret Society em São Paulo!
Mosh Live · News

Postado em abril 2nd, 2019 @ 19:37 | 297 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»