28 Jun 2017, 1:54 pm

Entrevista: Soilwork


Soilwork promete show especial para estréia no Brasil

O Soilwork foi fundado em 1995, mas sacramentou seu nome no que se convencionou a chamar de “Gothenburg Metal” ou “Death Metal Melódico” após a trinca A Predator’s Portrait (2001), Natural Born Chaos (2002) e Figure Number Five (2003). A partir daí, os caras se mantiveram em alta, e essa excelência pode ser comprovada na audição de The Ride Majestic, último pertardo dos suecos. Mesmo tendo tanto prestígio por esses lados, eles nunca pisaram no nosso país. Mas isto está prestes a mudar: neste final de semana, farão apresentações inéditas no Brasil, a saber: no Rio de Janeiro (09/09 – Teatro Odisséia), São Paulo (10/09 – Clash Club) e Curitiba (11/09 – Music Hall).

Conversamos com o vocalista Björn “Speed” Strid (vocal), que nos revela curiosidades do passado, a recente saída do baterista Dirk Verbeuren (que foi pro Megadeth, que tocou no Brasil há poucas semanas) e também falou sobre suas expectativas sobre os vindouros shows por aqui.

Entrevista por Clovis Roman
Tradução por Costábile Salzano Jr.

Durante os meses de fevereiro e junho de 2015, vocês ficaram trancafiados em estúdio gravando “The Ride Majestic”. Atualmente, com todas as facilidades tecnologias, etc, podemos dizer que é muito tempo para uma banda gravar um disco. Houve alguma razão para isso?
Björn “Speed” Strid: Infelizmente, demoramos todo este tempo, porque alguns integrantes tiveram perdas em suas famílias. Tudo aconteceu dentro de um mês. Foi algo muito surreal. Era quase como se alguém estivesse tentando nos dizer para pararmos as gravações. No entanto, nós amadurecemos e acho que a música se tornou o nosso maior conforto. Além do que, tudo isso nos deixou mais próximos e isso afetou nossas performances no álbum. Há muito de cada um de nós, algo pessoal neste disco, e isso é muito real, perceptível. Estou muito orgulhoso deste trabalho, principalmente pela nossa determinação.

Seu último disco já foi lançado há um ano. Vocês pretendem lançar alguma coisa nova em breve?
Björn: Temos algumas ideias soltas, mas nada concreto. No entanto, vamos começar coisas novas em breve. “Death Resonance” e “Helsinki” são a melhor prova que já estamos com o pé em um próximo álbum.

Nos shows no Brasil, vocês pretendem tocar “Death Resonance”, por exemplo? Qual é o setlist que vocês tem em mente?
Björn: Bem, como esta é a nossa primeira vez no Brasil não estamos pensando em tocar nada do “Death Resonance”. Na verdade, vamos nos concentrar em “álbuns reais” . Vai ser um grande setlist, confie em mim!

soilwork1

Recentemente, o baterista Dirk Verbeuren deixou Soilwork para entrar no Megadeth. Foi uma mudança repentina ou você já sabia que as negociações estavam em curso?
Björn: Na verdade, não me surpreende em nada Dave Mustaine chamar Dirk para se juntar ao Megadeth. Eu vi Dirk tocando com eles no Sweden Rock Festival e estava incrível. Felizmente, encontramos Bastian Thusgaard, que está fazendo um trabalho incrível conosco e a receptividade do público tem sido brilhante. Os fãs não tem o que se preocupar, tudo soa fantástico!!!

Mas Bastian Thorsgaard já foi efetivado como um membro oficial?
Björn: Nós ainda não o confirmamos como um membro permanente, mas ele está fazendo tudo perfeitamente bem e dando conta do recado. Nós apenas queremos ter certeza que podemos fazer longas turnês para tomarmos uma decisão.

Uma curiosidade antiga: No álbum de estreia, há uma faixa instrumental chamada “Centro de Predomínio”. Por que a escolha desse nome tão curioso?
Björn: Nós tínhamos um tecladista espanhol naquela época, o Carlos Del Olmo. Ele deu o nome para a música. Ele é um dos meus amigos mais antigos e nós ainda mantemos contato.

Vocês vão se apresentar no Brasil apos 21 anos de carreira. Pode soar clichê, mas quais são as expectativas de tocar em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro?
Björn: Nós ouvimos muitas coisas boas e impressionantes das bandas suecas que recentemente tem invadido o Brasil. Agora é a nossa vez de conhecermos o calor e vibração maravilhosa do público brasileiro. Eu estou super animado e ansioso para tocar ai. Espero experimentar algumas bebidas e comidas gostosas, além de ter tempo para fazer turismo.

Muito obrigado pela entrevista. Por favor, deixe uma mensagem aos fãs brasileiros!
Björn: Muito obrigado a todos por ter nos esperado por tantos anos e por ser tão leais ao nosso trabalho. Nos vemos neste final de semana e venham preparados para um show infernal!!!!

Interview · News

Postado em setembro 7th, 2016 @ 22:49 | 416 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»