fbpx
10 Dec 2022, 3:03 am

Mosh Classic: Salário Mínimo – Beijo Fatal


Por Emerson Mello

Ano 1984. Cidade São Paulo. Era lançado o SP Metal, uma coletânea que lançou as bases do Metal paulistano com as bandas Avenger, Centúrias, Vírus e o Salário Mínimo. A produção ficou por conta da lenda viva Luiz Calanca da Baratos Afins, por onde dezenas de nomes importantes da cena paulistana lançaram seus primeiros trabalhos. O SP Metal acabou sendo o primeiro passo para o Salário Mínimo almejar o tão sonhado “disco próprio”. Lançado no dia 16 de novembro de 1987, Beijo Fatal completa 35 anos e se mantém firme como um dos álbuns referência do Metal brasuca.

A ideia era que o álbum saísse pela própria Baratos Afins, mas toda a movimentação em torno do nome da banda chamou atenção da gravadora RCA que acabou comprando o passe da banda. As gravações já estavam em andamento, mas a transição se deu de forma amigável entre as partes, sendo a única exigência feita pela gravadora era de que a banda tivesse uma música de trabalho, que acabou sendo uma versão de ‘Rosa de Hiroshima’, poema de Vinicius de Moraes musicado pelos Secos e Molhados e que se tornou um grande clássico. ‘Noite de Rock’ também foi outra escolhida para música de trabalho, no que hoje em dia é chamado de single.

A RCA proporcionou uma excelente estrutura para a banda realizar a gravação, então dos oito canais do SP Metal a banda saltou para um estúdio de 24 canais, o possibilitou à banda explorar mais. O repertório, selecionado a dedo, foi sabiamente escolhido dentre as músicas mais aclamadas nos shows e talvez isso explique o sucesso quase instantâneo do álbum que vendeu aproximadamente 78 mil cópias, um número bem expressivo na época. A parte promocional também contou com uma estrutura gigante, com material de divulgação espalhado nos grandes supermercados. Do início mais pesado no SP Metal a banda estava em transição do som para o Hard, então o resultado é um Hard Heavy calcado em duas guitarras e cantado em português, uma das marcas registradas da banda.

O álbum abre com um dos maiores clássicos do Salário ‘Dama da Noite’, entrando com um riff marcante de guitarra e uma levada contagiante, tendo uma pegada mais Metal, a música é a história de um cara que se envolve com uma garota de programa. O refrão forte, fica grudado na cabeça e os guitarristas Arthur Crom e Junior Muzilli mostram suas habilidades. O baterista Nardis Lemme mantém a pulsação da banda, com batidas precisas e pesadas. Excelente música de abertura, já mostra a que a banda veio. Vindo na sequência, a música título não deixa o ritmo cair e mais uma vez as guitarras dão o tom com um riff marcante. O trabalho de guitarras nessa música realmente se destaca com bons solos e os duetos. ‘Jogos de Guerra’, a terceira música, não nos dá tempo de respirar, uma das mais pesadas do álbum, sendo minha preferida. A música traz uma crítica a insanidade de guerra, com uma excelente interpretação vocal de China Lee: “Eles não são culpados/mas são eles que pagam/por todos os pecados/destes jogos de guerra”.

Fechando o antigo Lado A do vinil temos a regravação do clássico ‘Rosa de Hiroshima’. A sacada da banda foi muito boa, trazendo a música pro universo Metal, mas sem descaracterizar a melodia. Privilegiando a interpretação vocal de China Lee, ela acabou se tornando um dos pontos altos do álbum, abrindo as portas da banda também para as rádios.

Abrindo o Lado B temos ‘Noite de Rock’, com uma veia mais Hard e um refrão marcante, narrando as farras e noitadas do Rock’n’Roll. ‘Anjos da Escuridão’ é outra que se tornou um dos maiores clássicos da banda, narrando a eterna luta entre o bem e o mal e da saga das almas perdidas na escuridão. “Hão de vagar pelo espaço/almas sem luz e sem paz/clamarão por piedade/mas será tarde demais”. ‘Doce Vingança” também vem densa e pesada, fazendo jus à história de alguém em busca de vingança: ”Mostre-lhe as marcas deixadas na carne/por homens que eram da lei/mostre-lhe a alma ferida e cavada/de quem sempre quis ser alguém”. Fechando muito bem o álbum, temos a power ballad ‘Sob o Signo de Vênus’, sem dúvidas a melhor interpretação vocal de China Lee no álbum.

Beijo Fatal teve relançamento em Cd com algumas modificações no repertório, com acréscimo de algumas músicas, mas devido a questões de direitos autorais ‘Rosa de Hiroshima’ ficou de fora. O vinil original acabou se tornando uma raridade sendo vendido a peso de ouro na internet, sendo que a primeira tiragem com encarte ficou ainda mais rara, com uma cópia podendo chegar a quase 2mil reais. Não sei se na época os integrantes do Salário Mínimo tinham noção de que estavam gravando um clássico e que mesmo depois de todos estes anos o disco ainda teria relevância ainda sendo referência e citado por muita gente. Como diz a letra de ‘Sob o Signo de Vênus’ “O pecado é não sonhar” e em Beijo Fatal a banda foi além do sonho e deixou registrado um clássico.

Ouça Beija Fatal abaixo:

Músicas:

Lado A

1. Dama da Noite

2. Beijo Fatal

3. Jogos de Guerra

4. Rosa de Hiroshima

Lado B

5.Noite de Rock

6.Anjos da Escuridão

7.Doce Vingança

8.Sob o Signo de Vênus

Line-up:

China Lee – vocais

Arthur Crom – guitarras

Junior Muzilli – guitarras

Thomaz Waly – baixo

Nardis Lemme – bateria

News · Reviews

Postado em novembro 16th, 2022 @ 09:09 | 122 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»