26 Sep 2020, 1:37 am

Classic Mosh: Nazareth – Razamanaz


por Emerson Mello

Razamanaz é o terceiro álbum de estúdio do Nazareth, lançado em 1973 e foi responsável por projetar a banda junto aos grandes nomes do Rock. O álbum alcançou o décimo primeiro lugar no Reino Unido, ficando por 39 semanas nas paradas, emplacou duas músicas entre “as dez mais tocadas” do Reino Unido (‘Broken Down Angel’ e ‘Bad Bad Boy’) e foi o primeiro disco de platina da banda.

O caminho para atingir este sucesso começou através da idéia da banda em querer soar mais pesada do que nos dois primeiros álbuns (o primeiro auto intitulado e o segundo Exercises). Para isso queriam um produtor que pudesse viabilizar esta sonoridade e nesta época a banda estava abrindo para o Deep Purple e Roger Glover já tinha conferido algumas apresentações deles. Resolveram então mostrar algumas demos para ele, que de imediato curtiu o som e propôs irem para o estúdio. Segundo o vocalista McCafferty a coisa fluiu muito bem, porque a banda sabia o que queria e Glover já estava por dentro do som deles e isto trouxe espontaneidade, pois o trabalho foi bem objetivo, o que manteve o frescor das idéias.  A formação que gravou o álbum é considerada a clássica da banda, com Dan McCafferty (vocais), Darrell Sweet (bateria), Pete Agnew (baixo) e o guitarrista Manny Charlton. Glover ainda produziu os dois álbuns seguintes, Loud’n’Proud e Rampant. A bela capa, praticamente uma arte minimalista, foi assinada por David Field, que também fez arte para outros pesos pesados do Rock como Uriah Heep, AC/DC, Rolling Stones, Status Quo.

O álbum já abre com pé embaixo com a música título e a banda mostrando a que veio. Aos 1’41” podemos perceber na levada da bateria uma citação a “Rock’n’Roll’ do Led Zeppelin, foi com certeza uma forma de homenagear os Mestres britânicos. Na seqüência ‘Alcatraz’ mantém o ritmo, uma excelente releitura do clássico de Leon Russel, aonde a banda dá sua própria cara à música e acabou virando um dos maiores hits do Nazareth. Aliás, eu considero a versão deles bem superior à original. Outra releitura interessante foi a de “Vigilant Man”, do cantor e compositor americano Woody Guthrie. A música original que era um folk com violão e voz ganhou uma versão mais pesada e personalizada pelo Nazareth. ‘Woke up this morning’ ganhou uma roupagem bem melhor do que a que foi gravada no álbum anterior, ‘Exercises’. Na próxima ‘Night Woman’, Darrell Sweet cria uma batida meio tribal, enquanto Manny Charlton brinca com o  wah-wah e o baixo de Pete Agnew segura tudo criando um paredão sonoro. ‘Bad Bad Boy” que foi um dos singles de sucesso do álbum retoma o Rock Clássico,mas ainda com um certo peso.

Sold my Soul é a música mais enigmática do álbum, tanto em sua parte instrumental quanto na parte lírica. Em versos como ‘I looked to the Lord in heaven But he must have looked away”, ‘So I cried in desperation Bowed to evil sorcery’ carrega todo o peso de uma alma desesperada. No refrão ‘I sold my soul to the devil” McCafertty canta como se fosse uma súplica, um pedido de socorro e na seqüência Charlton cria um clima melancólico na guitarra que casa perfeitamente com toda a história da música. ‘Too Bad Too Sad’ “alivia um pouco o clima com som mais direto. Fechando o álbum o outro single de sucesso do álbum ‘Broken Down Angel’ com um refrão forte e uma sonoridade que me remete ao Creedance.

Razamanaz é um grande clássico do Nazareth e vale muito a pena conferir a excelente discografia desta grande banda.

News · Reviews

Postado em agosto 4th, 2020 @ 11:11 | 365 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»