21 Nov 2018, 5:43 pm

Fanzine Mosh – 30 anos: Entrevista com Aske


Uma das principais ‘revelações’ do Death Metal brasileiro conversa com exclusividade com o Fanzine Mosh e fala um pouco sobre seu atual trabalho, “Broken Vow”, momento da banda como um duo, projetos futuros e muito mais, confira:

Primeiramente muito obrigado pela entrevista. Vamos lá! A banda se estabilizou como um duo, após alguns anos como um quinteto. Conte-nos como é trabalhar em apenas duas pessoas na hora de compor e gravar?

Filipe Salvini: Nossas formações são apenas para apresentações ao vivo: o ASKE sempre será um grande duo.

Nosso primeiro disco “Once…”, lançado em 2015, foi composto por mim e pelo ex-vocalista Paulo Roberto (Abdicated, ex-Aske, ex-Beastkrieg) e no EP “Broken Vow”, lançado no último ano, tive o auxílio do guitarrista Lucas Duarte nas composições.

É certo que músicos adicionais sempre farão parte das nossas produções, mas isso não minimiza a singularidade que busco passar em cada obra.

Ouvindo o EP “Broken Vow” podemos ver que houve uma grande evolução. Este fato se deve ao ASKE estar trabalhando com menos integrantes?

Filipe: Não. No EP tivemos a participação de músicos adicionais, assim como no disco “Once…”.

Eu penso que essa evolução notória é fruto da nossa paixão pela música e da vontade de fazer um trabalho melhor a cada lançamento.

Vocês cogitam inserir mais um integrante no futuro?

 Filipe: Não, a princípio. A não ser que haja uma contribuição significativa para a banda em seu processo criativo.

A banda pretende se apresentar ao vivo neste ano visando divulgar o novo trabalho? Se sim, quem estará tocando bateria?

Filipe: Não tenho pensado nisso. Estou focado na produção do nosso próximo disco mas, se casar de fazermos alguma apresentação ao vivo, basta reunir uma formação bacana para o show.

O ASKE já segue trabalhando em um novo álbum? O que podemos esperar: Um novo EP ou um full length?

Lucas Duarte: Nosso próximo lançamento será um full lenght, e, por enquanto, é só o que podemos dizer porque estamos em processo de composição.

E as músicas seguirão na mesma linha de “Broken Vow”?

Lucas: Não, trabalhamos em um novo material visando deixá-lo ainda melhor que o anterior. Nossa ideia é inovar e apresentar um disco mais maduro que o EP.

Filipe: É claro que temos nosso estilo enraizado no Metal Extremo mas isso nunca impedirá que cada música tenha suas características próprias, que soem como únicas. As músicas do “Broken Vow” mostram isso e se houver alguma semelhança entre os 2 materiais será essa: a singularidade de cada canção.

Como foi a recepção da imprensa e público para este EP?

Lucas: Muito boa, com “Broken Vow” conseguimos críticas positivas e boas notas em sites especializados. O acesso ao EP ficou mais fácil devido a disponibilização nas plataformas digitais.

Ouça no Spotify: https://open.spotify.com/album/41F34PQA1m4EwJQ6ksD5Uj

Quais os planos imediatos para este segundo semestre?

Filipe: Criar músicas e trabalhar na produção do disco. Este tem sido nosso foco.

E qual a previsão para este lançamento? Deixamos este espaço para as considerações finais, muito obrigado.

Filipe: Pretendemos finalizar toda a produção do disco no próximo ano mas como estamos no meio do processo criativo, não quero anunciar uma data.

Como sempre, só temos a agradecer o suporte do Patrick Souza e a Sangue Frio Produções e ao empenho do Eugenio Stefane e seu 1979 Estúdio. Aos que gostam da nossa música, esperamos entregar um disco a altura. Muito obrigado.

Aske é:
Filipe Salvini – vocal/contrabaixo
Lucas Duarte – guitarras

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:
https://www.facebook.com/askeoficial/
https://www.sanguefrioproducoes.com/bandas/Aske/27

Interview

Postado em agosto 31st, 2018 @ 11:48 | 155 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»