24 Sep 2018, 12:26 am

CD Review: Atacke Nuclear – Extermínio


Atacke Nuclear – Extermínio  (Secret Port Records/Nbq Records)

por Clovis Roman

 

O grupo mineiro Atacke Nuclear, com mais de 10 anos de estrada, chegou ao seu segundo álbum de estúdio com Extermínio. Trabalho este que mostra um belo salto no que tange a questão técnica e de composição. Aqui o som está mais encorpado, mais visceral. Após uma introdução irritante – mas que, ainda bem, é curta – o disco realmente começa com um som que mostra de cara qual o estilo musical do trio: o Thrash Metal. Trata-se de “Mercadores da Morte”.

Claro que há algumas outras influências no meio, como algo na veia Punk/Hardcore na simplicidade dos riffs (“País Fantasma”, por exemplo) e na maneira como os versos são vociferados. Mas o que domina o play é o Thrash Metal, calcado no que foi feito de mais relevante no estilo nós anos 80. É até um tanto nostálgico ouvir este álbum: parece mesmo ter sido gravado naquela década.

Outra coisa que remete ao Punk são as letras, críticas ácidas à sociedade e suas mazelas, como a desigualdade social, corrupção e a alienação. As frases em português tornam a mensagem mais fácil de ser assimilada pelo ouvinte. Entre os destaques, estão músicas como “Silêncio da Conveniência” e “Suicidas”, com riffs pomposos. Esta última também chama a atenção pelo refrão mais sorumbático, tenso. A introdução serena de “S.O.S. Indígena” se contrapõe a letra, cujo tema fica evidente no título. Seu ritmo cadenciado forçou um vocal menos gritado e consequentemente, mais inteligível.

Mais pro final do álbum, ainda há espaço para uma ode os “Guerreiros do Underground” e uma passeada pelo Heavy Metal em “Impiedade”, que chega a lembrar algo do Dorsal Atlântica da fase anos 90. O trabalho se encerra com “Insulto”, que conta com o uso de blast beats no momento mais rápido de todo o disco: são apenas 3 minutos e 35 segundos de duração. O som traz uma boa variedade de riffs e boas intervenções de guitarra em seu decorrer. A faixa é instrumental e fecha Extermínio com chave de ouro.

O álbum tem cerca de 47 minutos, divididos em 12 faixas. É um material que vale sua aquisição por quem curte Thrash Metal inspirado nós primórdios do estilo. O encarte é simples, assim como a capa e sua concepção.

Tracking list

01 – Intro / Lamentos do Inferno
02 – Mercadores da Morte
03 – Crucifique os Falsos
04 – Suicidas
05 – Vítimas do Sistema
06 – SOS Indígenas
07 – País Fantasma
08 – Silêncio da Conveniência
09 – Extermínio
10 – Guerreiros do Underground
11 – Impiedade
12 – Insulto

News · Reviews

Postado em dezembro 24th, 2017 @ 09:09 | 429 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»