20 Nov 2017, 6:50 pm

CD Review: Kreator “Gods Of Violence”


Kreator – Gods of Violence ( Ward Records Inc. – Importado 2017)

Kreator (Foto: Andre Smirnoff)

Por Marcele Faret
Lançado no começo de 2017, o 14º álbum do Kreator já traz uma introdução épica, resumindo em pouco mais de um minuto o que vem pela frente. Thrash metal puro que já começa destruindo na primeira música ‘World War Now’. Desde 2001 com a formação atual, o Kreator deixa claro que são capazes de fazer o bom e velho thrash metal nos tempos de hoje, aproveitando dos elementos modernos para trazer peso mantendo a característica clássica, que permite qualquer um de ouvir esse álbum e identificar: “Isso é Kreator!”.
‘Satan is Real’ veio pra traduzir a sensação que esse lançamento dá, afinal o que a banda compôs nessas 11 faixas parece ser sobrenatural. Em todas as faixas, o vocal de Petrozza mostra nitidamente: quanto mais velho, melhor. Sem querer ofender os clássicos do Kreator, mas hoje, a formação atual mostra que é possível fazer thrash metal com definição, técnico e pesado, gozando da tecnologia e da qualidade de gravação, mixagem e produção dos álbuns, mas principalmente, do amadurecimento do conjunto Mille Petrozza, Ventor Reil, Speesy Giesler e Sami Yli-Sirniö na execução e composição, sem tirar a cara do Kreator nessa transição.


A faixa ‘Totalitarian Terror’ reúne todas as provas do que foi dito anteriormente. Tem harmonia, tem peso, tem conteúdo, tem thrash. Sem mais. Pra dar aquela respirada funda, começa ‘Gods of Violence’, que leva o título do álbum. A introdução da música traz um clima místico, combinando com a temática do álbum. Em menos de um minuto, com muita sincronia, entra a destruição. Thrash veloz e incorporado com aquele clássico refrão dialogando com guitarras em harmonia.

Seguindo a mesma receita, as próximas composições ‘Army of Storms’ e ‘Hail to the Hordes’ trazem mais evidências pra ninguém duvidar da capacidade do Kreator de manter a sua identidade, ainda que todas as músicas tragam elementos semelhantes, para não errar a fórmula. E digo, não erraram! Cada composição tem sua originalidade, mas mantém a essência do Kreator. ‘Lion with Eagle Wings’ tem uma introdução que faz lembrar as garotinhas que aparecem no início do vídeo oficial de ‘Satan is Real’, e o estouro que vem logo em seguida
desperta o mesmo sentimento! Uma explosão de peso e riffs cavalgados, combinados num thrash de velocidade e técnica. Também aparece o
envolvimento de um vocal mais exigido pelo próprio Petrozza, pra manter o clima de peso da música.


A participação de Dagobert Jäger nos vocais de ‘Fallen Brother’ completa o álbum com uma cultura um pouco diferente, visto que é conhecido na Alemanha por cantar músicas românticas e ser considerado um artista de ‘eletropop’. Precisamos admitir que essas participações surpreendem e trazem o verdadeiro sentido de apoio dentro do mundo musical e fazem uma inserção de diferentes estilos para diferentes ouvintes, o que fortalece muito a recepção do metal para o público (ainda mais se forem lançar um vídeo intitulado ‘Satan is
Real’). ‘Side by Side’ e ‘Death Becomes my Light’ encerram o álbum com maestria na execução, sem sair da “fórmula Kreator” de composição. Talvez, alguns elementos diferenciados pudessem trazer um teor mais surpreendente, mas o fato de manterem a sua identidade e execução inquestionável é mais do que suficiente para tornar esse lançamento épico.

Tracking List

  1. “Apocalypticon”
  2. “World War Now”
  3. “Satan Is Real”
  4. “Totalitarian Terror”
  5. “Gods of Violence”
  6. “Army of Storms”
  7. “Hail to the Hordes”
  8. “Lion with Eagle Wings”
  9. “Fallen Brother”
  10. “Side by Side”
  11. “Death Becomes My Light”
  12. “Earth Under the Sword (Japanese Bonus Track)
News · Reviews

Postado em março 16th, 2017 @ 09:09 | 393 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»