13 Dec 2017, 12:51 pm

CD Review: Os álbuns da banda Kaapora


Kaapora – Distainer + Inóspito


por Clovis Roman

Eu acompanho a distância – agora literalmente – a carreira de Evandro Maidl. Ele foi baixista do Necroterio até meados da década passada, portanto, vi a banda com ele uma meia-dúzia de vezes. O cara zarpou e após uma ou outra banda que integrou, se efetivou como vocalista do Kaapora, da Alemanha. O grupo lançou no ano passado seu segundo disco, Inóspito. Em nossa redação, entretanto, chegou também o debut Distainer. Vou falar de ambos.

A estreia discográfica dos caras se iniciou com Distainer, um trabalho conciso e homogêneo. “Existance and Sickness” tem uma roupagem mais atual em sua estrutura, mas o baixo podre finca os pés no terreno do Death/Grind. É uma das melhores do play; e ao vivo deve funcionar bem.

O trabalho tem um som que carrega em si influências de Six Feet Under, tanto pelos riffs quanto pelo vocal de Evandro, que volta e meia incorpora Chris Barnes. E apesar da podreira, ainda há espaço para momentos mais descontraídos, como “Forget” – basta ouvir a introdução em português ou acompanhar as palminhas do refrão. E falando em canções em nossa língua, há “Neurastenico”. A faixa título, la no final do play, dá uma segurada no ritmo, por ser mais cadenciada, ao menos em sua primeira metade. “Neurastheniker” vêm como faixa bônus, sendo uma versão em alemão da supracitada “Neurastenico”.

Já Inóspito mostra uma banda que seguiu o caminho sugerido no álbum anterior. A instrumental “Incarcerated Brother” conta com uma intro em português (quiçá de um filme) e depois entra em um riff lentão que se repete até o fim de seus dois minutos; bem Stoner. Serve de prelúdio para “Inóspito”, cantada na língua natal de Evandro; seu refrão de fácil memorização é muito bom.

São pouco mais de 29 minutos em 11 músicas, o que reforça o caráter grind do negócio. As saideiras “Giants’ Minute” e “I Rest in Chaos” também. Mas o grande destaque aqui é “Locked in Time”, que mostra que o Kaapora não ficou preso no tempo. O som conta com uns lances mais anos 70 nos riffs e passagens arrastadonas, e o resultado final é sensacional. E mesmo com tudo isto, não deixa de ser, no fim das contas, uma tosqueira. São dois álbuns que merecem audições atentas e repetidas.

O Necroterio, citado no começo do texto, há dois anos lançou um novo disco após muito tempo, tendo Evandro como vocalista. Por questões logísticas, nas apresentações ao vivo, a banda curitibana conta com a lenda Ulisses Mano.

Bandcamp: kaapora.bandcamp.com
Facebook: www.facebook.com/distainment

News · Reviews

Postado em julho 28th, 2017 @ 08:24 | 215 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»