18 Aug 2017, 2:29 pm

CD Review: Slayer – Repentless


Slayer – Repentless (Nuclear Blast – Importado) – Nota: 8,0

Por Eduardo Cardoso

Desde o clássico Reign in Blood (1986) que o Slayer tem algo a provar: produzir outro disco que supere seu melhor momento. De lá para cá já foram muitas tentativas e caminhos equivocados. O falecimento do guitarrista Jeff Hanneman (1964-2013) poderia colocar definitivamente uma lápide nessa empreitada, mas o novo álbum Repentless parece indicar um novo rumo.

E vamos ao disco… Delusion of Savior abre as portas da insanidade para a bateria de riffs da faixa título. Há semelhanças desta com a clássica Piranha, do Exodus, gravada no disco Bonded by Blood (1985). Seria uma forma do guitarrista Gary Holt já deixar sua marca como substituto de Hanneman?

Take Control ameaça descer a lenha como Sadus em Kill Team (1987), mas permanece indefinida pela alternância de climas.

A próxima, Vices, define uma face mais pesada, seguindo nesse ritmo em Cast the First Stone, que termina referenciando outro clássico do Slayer – Black Magic, do álbum Show no Mercy (1983).

When the Stillness Comes é totalmente dispensável. Parece uma sobra do álbum South of Heaven (1988) – um disco para o qual muitos fãs torcem o nariz. Chasing Death é uma faixa inventiva que levanta a bola, mas não chega a empolgar. Ambas são o ponto fraco deste disco.

Implode finalmente vira a mesa, mesclando peso e ataque. É neste momento que o disco cresce e revela o verdadeiro potencial dessa nova formação.  Destaque para a dobradinha King e Holt, que brilha arrancando sonoridades tenebrosas das guitarras.

Piano Wire segue pra cima, introduzindo a surpreendente Atrocity Vendor, com solos que agonizam lindamente como uma sinfonida de violência.

You Against You traz novamente solos incríveis que vão fazer Hanneman revirar na tumba, ou aplaudir de pé, mesmo estando à sete palmos.

O álbum encerra repentinamente com Pride in Prejudice. Seria mais uma homenagem à perda repentina de Hanneman? como um mamute, ela retoma a densidade de South of Heaven, mas de uma forma que só agora o Slayer encontrou.

Repentless é isso aí. Um disco forte e vigoroso. Que coloca a banda no rumo certo para produzir finalmente um sucessor à altura de Reign in Blood. Mas ainda não foi dessa vez. A perda de Hanneman criou um vácuo que Gary Holt está sabendo preencher com talento e criação. Atingir novamente a perfeição é uma tarefa mitológica. E o Slayer com Gary Holt caminha certamente para essa direção.

“Repentless” track Listing

1.”Delusions of Saviour
2. “Repentless”
3. “Take Control”
4. “Vices”
5. “Cast the First Stone”
6. “When the Stillness Comes”
7. “Chasing Death”
8. “Implode”
9. “Piano Wire”
10.  “Atrocity Vendor”
11. “You Against You”
12. “Pride in Prejudice”

Reviews

Postado em outubro 19th, 2015 @ 22:38 | 1.026 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»