29 Jul 2017, 9:38 am

Megadeth com casa lotada em Curitiba


Megadeth @ Spazio Van, Curitiba – 18.08.2016

Megadeth.PicByAndreSmirnoff.08

Texto por Clovis Roman
Fotos por André Smirnoff

Mesmo sendo uma das bandas internacionais que mais toca no Brasil – afinal, eles mantém uma certa regularidade há mais de 20 anos – o Megadeth ainda é capaz de arrastar multidões à suas apresentações. Uma prova cabal desta teoria foi o show realizado em Curitiba. O público é um tanto mais frio que em outras regiões do país, mas na última quinta-feira esqueceu esta característica e participou ativamente e ruidosamente – sem contar sua presença massiva, que preencheu bastante o espaçoso Spazio Van. Esquentar a galera da capital paranaense não é para qualquer um, mas a trupe de Dave Mustaine conseguiu alcançar este objetivo com folga.

Megadeth

Kiko Loureiro

Afinal de contas, a banda está totalmente revigorada após lançar um álbum apenas mediano (Super Collider, de 2013) e sofrer duas baixas na formação. Um importante fator que influenciou na atual ótima fase é presença do brasileiro Kiko Loureiro, guitarrista que veio do Angra e trouxe sua musicalidade absurda para o quarteto de Thrash Metal. Sua adaptação foi tão natural que parece que o rapaz está ali desde a formação da banda. O primeiro resultado desta parceria foi Dystopia, um álbum que dá uma surra em qualquer coisa feita pelo Megadeth nas últimas duas décadas, que mescla riffs e solos que remetem aos grandes clássicos da banda (basta ouvir “The Threat Is Real”) sem soarem datados. Esta, inclusive, foi uma das novas faixas que melhor funcionaram ao vivo. Destaques nessa categoria também para “Dystopia” e “Poisonous Shadows”. Nesta segunda, durante sua introdução dedilhada no violão, o público saudou o novo integrante com o coro “Kiko, Kiko, Kiko…”. Nada mais justo.

Além das músicas do último disco, excelentes, ainda tivemos um punhado generoso de grandes composições, como “Hangar 18” (que abriu o repertório), “Tornado of Souls”, “In My Darkest Hour” e “She Wolf”. A banda está tocando numa afinação mais baixa, para acomodar melhor a voz de Mustaine, que aos 54 anos não consegue mais cantar como um pato alucinado, obviamente. O que não é demérito algum nesse caso. Bastante comunicativo e empolgado, o chefão falou diversas vezes com o público, e no final, foi o último a deixar o palco, não sem antes agradecer efusivamente o público.

Megadeth

 

Vale completar que, ao lado de Dave Mustaine e seu fiel escudeiro, Dave Ellefson, está, além de Loureiro, o baterista Dirk Verbeuren. Vindo do Soilwork, o músico é certamente muito profissional, mas ainda precisa de tempo para entrar no feeling do seu novo emprego. Mas certamente ninguém ali ficou com  saudades do Shawn Drover.

O saldo geral da noite foi mais que positivo. Recebemos uma banda que mesmo veterana ainda é capaz de lançar discos fortes, marcantes; sem contar que ao vivo eles são imbatíveis. Os fãs curitibanos também merecem menção honrosa, por terem comparecido em peso e participado de maneira muito empolgada. Não a toa o próprio Mustaine, via Twitter, decretou que Curitiba foi o público mais barulhento de todos os seis shows feitos por eles no Brasil. Ponto pra gente.

 

 

 

 

RepublicaABERTURA

Para esquentar a galera, a banda paulista Republica fez bonito, apresentando um Hard Rock pesado, com um toque de Seattle dos anos 90. Entre as canções apresentadas, bons sons presentes em Ponto of No Return – infelizmente a espetacular “The Land of the King” ficou de fora – e algumas faixas inéditas, como “The Maze”. O vocalista Leo Belling interagiu com a plateia em alguns momentos e obteve boa resposta – a galera aplaudiu e acompanhou. A banda não é nova, como alguns podem pensar. O grupo é dos anos 90. Naquela época, lançaram pela Eldorado um disco que tem até Jorge Ben Jor. A banda ficou mais pesada e em seu terceiro registro de estúdio, o supracitado Point of No Return logrou êxito em fazer um som bacana, com o peso do Metal. Os caras já tocaram em grandes festivais, como o Lollapalooza e, por duas vezes, no Rock in Rio. Bom show de uma banda muito bacana, que deve lançar um novo álbum num futuro não muito distante.

REPUBLICA
Black Wings
Time to Pay
The Maze
Stand Your Ground
Life Goes On
Endless Pain
Death For Life
El Diablo

MEGADETH
Hangar 18
The Threat Is Real
Tornado of Souls
Poisonous Shadows
Wake Up Dead
In My Darkest Hour
Conquer or Die!
Fatal Illusion
She-Wolf
Dawn Patrol
Poison Was the Cure
Sweating Bullets
A Tout Le Monde
Trust
Post American World
Dystopia
Symphony of Destruction
Peace Sells

Holy Wars… The Punishment Due

 

 

 

 

 

Mosh Live · News

Postado em agosto 22nd, 2016 @ 15:15 | 459 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»