fbpx
3 Mar 2024, 4:13 am

Mosh Classic: Metallica – Kill ‘Em All (40 Anos)


Por Marcelo Pereira de Souza

Colaboração Emerson Mello

Neste mês de julho, exatamente no dia 23 de junlo de 2023, se completaram 40 anos do lançamento deste petardo, que inicialmente se chamaria “Metal Up Your Ass”. A fama da banda deu-se em 1982 com a gloriosa demo-tape “No Life Til Leather” que mostrou algo novo com um som muito mais feroz e rápido já feito até então, onde após contato com John Zazula (morto em 1 de fevereiro de 2022 aos 69 anos), este fundou a Megaforce Records com o propósito de lançar a banda. Na Europa o álbum foi distribuído pela Music For Nations.

A demo No Life ‘Til Leather começou a fazer barulho e chamar atenção pra banda.

O álbum foi gravado numa casa mal-assombrada (segundo os próprios) em Nova York, mais precisamente na cidade de Rochester, em apenas 15 dias. John Zazula predestinou o sucesso da banda e por isso a correria de fazer a gravadora exatamente por apostar que o sucesso da banda seria garantido, tanto que um mês antes, Dave Mustaine, foi demitido por causa das famosas bebedeiras e substituído por Kirk Hammett (Exodus) que correu para aprender as músicas. Ficaram hospedados na casa do pessoal do Anthrax, que junto ao Exodus e Slayer( naquela época ainda engatinhando no seu som), ainda não tinha sido definida essa nova sonoridade que posteriormente ficou citada pela imprensa como Speed/Thrash Metal. O álbum foi gravado em maio e Zazula quis fazer parte da produção e chamou o engenheiro de som Paul Curcio, que já tinha trabalhado com nomes consagrados como Santana, Dobbie Brothers e outros, mas a primeira mixagem foi um verdadeiro fiasco. Por conta dessa mixagem ruim, se trancaram no estúdio sem permitir acesso da banda à gravação e John Zazula se viu obrigado a fazer uma nova mixagem que fez disparar o orçamento e quase o levou a bancarrota. Podemos afirmar que o João, da Cogumelo Records, foi o nosso Zazula tupiniquim, inclusive que ambos tiveram participação considerável das respectivas esposas no cenário das suas gravadoras! O título inicialmente escolhido pela banda já tinha desenho da capa e tudo, mas Zazula tentou convencê-los a mudar, então Cliff Burton (que era o músico mais respeitado) ficou como siri na lata e disse que os “caras da gravadora” eram um saco, daí disparou: “matem todos eles”, e assim virou o novo título, inclusive com a “marreta sangrenta” sendo também ideia dele. Apesar de Mustaine ter sido demitido, quatro músicas criadas por ele entraram nesse álbum de estreia. Até hoje, o baixista Ron McGovney (primeiro baixista da banda), se mete em polêmicas nas redes sociais dizendo que Mustaine era o músico da banda (o que é a mais pura verdade apesar da eterna mágoa explícita com James e Lars), mas se nessa época já era bom, imagina com Cliff e Hammett! As músicas criadas por Mustaine que entraram no álbum foram: “Phantom Lord”, “Jump in the Fire”, “The Four Horsemen” (rebatizada por Mustaine para o Megadeth no seu álbum de estreia como “The Mecanix”) e “Metal Militia”. Após esse assombroso lançamento, excursionaram neste mesmo ano com os canadenses do Raven na famosa tour “Kill Em All For One`”, que ganhavam míseros 1250 dólares por duas apresentações para já no início do ano seguinte estar em nova turnê com outra banda fervorosa que foi a inglesa Venom, chegando a tocar para um público presente de cerca de 7000 headbangers no Aardschok Festival   durante a turnê “Seven Dates Of Hell”.  O álbum teve dois singles, “Whiplash” e “Jump in the Fire” (que como colecionador esses EP´s fazem parte do meu acervo), onde prontamente podemos definir a velocidade dessa primeira citação como sendo do novo som ecoado pelos americanos e taxados como “Thrash Metal”.

A formação considerada clássica pelos fãs.

O disco em si, se inicia com o lado A através da música “Hit The Lights” que já é uma porradaria de 4:17 minutos (foi adaptada da antiga banda de James Hetfield chamada “Leather Charm” que contava com Ron McGovney no baixo, Hugg Tanner na guitarra e Jim Mulligan na bateria), seguido da “The Four Horsemen” com eternos riffs e energia em 7:08 minutos, “Motorbreath” em excitantes 3:03 minutos que Hetfield mostra sua constância na guitarra base e riffs perfeitos e bastante enérgicos, seguida de “Jump in the Fire” em 4:50 minutos da lucidez de Mustaine visto ser de sua autoria e para finalizar este lado da “bolacha, temos “(Anesthesia)-Pulling Teeth” que nada mais é a valorização dada por eles ao baixista Cliff Burton em fazer um solo cheio de distorções de pedal wah wah, mostrando toda sua competência musical de um cara acima da média, que inclusive foi o principal fator de James e Lars quererem contratá-lo quando o viram solando esta mesma parte e pensaram se tratar de uma guitarra. São excitantes 3:27 minutos de pura viagem fechando o lado A.

A banda ainda tinha muita munição e o lado B já começa a todo vapor com Whiplash, com riffs rápidos e cortantes com a banda mandando sem firulas. Vale ressaltar a grande influência das bandas britânicas no som deles, principalmente Sweet Savage e Diamond Head, sendo notória a influência de Brian Tatler no vocal de James. Seguindo temos Phathom Lord com Hammett mandando ver no solo, e a passagem do meio que Mustaine (re)utilizou em  This Was My Life do álbum Countdown to Extinction. No Remorse continua a aula de Metal já com as guitarras de Kirk Hammett fervendo e derretendo os autofalantes enquanto James dá a sentença “No remorse, no repent/We don’t care what it meant/Another day, another death/Another sorrow, another breath”. Seek and destroy na sequência, um dos maiores clássicas da banda, tocada até hoje nos shows, tem um riff que fica na memória de primeira e já nos faz balançar a cabeça e o refrão pra soltar a voz e exorcizar todos os demônios. Fechando com Metal Militia a velocidade do riff nos faz repensar os limites da física!

Assim chegamos ao fim, Kill ‘Em All é um álbum clássico que marcou época e trouxe frescor ao mundo do Metal,  abrindo novas vertentes e novos caminhos para o estilo e marcando o início da trajetória de sucesso da banda que seria a única a rivalizar com a maior banda de Metal até então: um dos próprios heróis do Metallica, o Iron Maiden.

Estreia da banda que futuramente iria disputar o posto de maior banda de Metal do mundo.

*Ficha técnica

Banda – Metalica

Álbum – Kill ‘Em All

Data lançamento – 23/07/1983

*Line up

James Hetfield – vocal e guitarra base

Lars Ulrich – bateria

Cliff Burton – baixo

Kirk Hammett – guitarra solo

01 – Hit the Lights 4:15

02 – The Four Horsemen 7:12

03 – Motorbreath 3:07

04 – Jump in the Fire 4:41

05 – (Anesthesia) Pulling Teeth 4:14

06 – Whiplash 4:08

07 – Phantom Lord 5:02

08 – No Remorse 6:26

09 – Seek & Destroy 6:54

10 – Metal Militia 5:11

Total – 51:18

News · Reviews

Postado em julho 30th, 2023 @ 17:06 | 1.560 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»