fbpx
18 May 2024, 2:35 am

Mosh Classic: Thin Lizzy – Black Rose: A Rock Legend (45 Anos)


Emerson Mello

Black Rose é considerado por alguns fãs como o último clássico do Thin Lizzy, que assim como outros medalhões tiveram dificuldades a ser adaptar aos anos 80, somados ainda os desgastes naturais de uma banda envolvida em fama, excessos e todo o restante que a vida na estrada traz. O Thin Lizzy conseguiu a façanha de conseguir unir integrantes das duas partes de uma Irlanda dividida com alto grau de rivalidade, e ainda ter membros da Escócia, EUA, sempre tendo a frente a figura de Phil Lynott. Lynott nasceu em Staffordshire na Inglaterra, mas chegou na Irlanda aos quatro anos de idade, e absorveu toda a cultura local, o que refletia em muita das suas letras e também nas versões de música folclórica tradicional, que ele adaptou muito bem pra linguagem do Rock. Isto com certeza garantiu o um sotaque diferente para a música do Thin Lizzy, o que fez com que fossem tão admirados e respeitados mundo afora, inclusive por outros músicos famosos como Metallica, que gravou uma versão do clássico Whiskey in the Jar.

Lynott sempre foi a figura central a frente do Thin Lizzy.

Vindo do badalado álbum ao vivo Live and Dangerous, com a formação que muitos consideram clássica (Lynott, Gorham & Robertson nas guitarras e Downey bateria). Robertson foi embora e Gary Moore, amigo de longa data de Lynott, vem e assume a segunda guitarra fazendo a dupla com Gorham, o que convenhamos foi uma dupla e tanto, é claro em nenhum momento desmerecendo Robertson que é um excelente guitarrista e fez grandes coisas no THin Lizzy. Esta foi a segunda passagem de Moore, depois de um curto período na fase inicial da banda. Pena que Gary Moore, um tradicional ariano, não ficou muito tempo, pois juntos com certeza viria muito mais outras coisas interessantes pela frente. As gravações foram realizadas entre dezembro de 1978 a fevereiro de 1979, alternadas entre o Pathé Marconi estúdio da EMI em Paris, Good Earth Studios e Morgan Studios, ambos em Londres. Quando lançado, o álbum alcançou a posição número dois nas paradas britânicas, sendo o álbum do Thin Lizzy que alcançou a melhor posição em paradas.

WB Yeats/Oscar Wilde/James Joyce & George Best – as figuras homenageadas na letra de Black Rose.

O álbum começa com Do Anything You Want To com uma batida vigorosa da bateria de Downey seguida do baixo, e logo entra o dueto de guitarras que marca o tema da música. O refrão forte que fica na cabeça e a dupla Gorham/Moore mostra que está bem afiada no solo em formato de dueto. Assim como o clássico The Boys Are Back in Town, a música privilegia mais o formato canção com as guitarras atuando mais no dueto e a bateria segurando a pulsação. Na letra Lynott fala de se ter a liberdade de se fazer o que se tem vontade, independente dos que os outros irão pensar. Toughest Street in Town traz um riff marcante com o som inconfundível de Les Paul plugada no Marshall e mais um refrão pegajoso que fica na mente na primeira audição, e a letra que fala da vida difícil nas ruas. No solo Gary Moore mostra seu cartão de visitas e esmerilha. S & M vem com mais groove numa levada bem marcada. Waiting for an Alibi talvez o maior hit do álbum, começa com Lynott conduzindo a levada no baixo seguido pelas guitarras em duetos e traz outro refrão marcante. Conta a história de Valentino que tem uma livraria, mas onde acontecem coisas suspeitas…. Na sequência a bela balada Sarah, que Lynott compôs pra sua filha recém-nascida (19/12/1978). No primeiro álbum da banda (Shades Of A Blue Orphanage) existe uma canção homônima que ele fez para a sua avó. Nos versos como “You are all I want to know/You hold my heart so don’t let go/You are all I need to live/My love to you I’ll give”, fica claro o amor pela filha. Moore mais uma vez capricha no solo.

Black Rose marca a volta de Gary Moore a banda.

Virando para o antigo lado B começamos com Got to Give It Up, que traz um formato de canção clássico do Thin Lizzy. A letra meio irônica, meio dramática fala em primeira pessoa de um filho fracassado e irmão ausente, perdido no álcool, na perspectiva de estar pedindo pra alguém passar um recado aos seus parentes. Até que ponto seria algo auto biográfico ou simplesmente uma das várias histórias contadas por Lynott, que tinha uma riqueza de criar personagens cotidianos, o que inclusive fez as pessoas criarem uma conexão com as letras. Logo no primeiro verso ele manda um recado aos pais “Tell my mama and tell my pa/That their fine young son didn’t get far”.  Get Out of Here direta e simples é o término de um relacionamento enquanto With Love é uma espécie de power ballad que funciona muito bem. “She’s broke my heart and make me sad” deixa claro que a música fala de um cara na fossa por conta de uma mulher. Não é assunto novo, mas Lynott sabe como contar histórias. Fechando o álbum temos a minha preferida do álbum, a música título Black Rose, dividida em quatro partes: I. Shenandoah/II. Will You Go Lassie Go/III. Danny Boy/IV. The Mason’s Apron. O nome é tradução de Róisín Dubh, em gaélico. Lynott declarou que a música foi uma tentativa de condensar todo o espírito celta num épico de 7 minutos. Quanto a espírito celta ele quis dizer as figuras míticas, a história, os escritores, músicos e ‘hell-raisers’. O épico contém releituras da música tradicional e folclórica irlandesa. Na letra Lynott homenageia algumas figuras como os escritores WB Yeats, James Joyce e Oscar Wilde, o músico Van Morrison e amigo George Best, jogador de futebol que fez história no Manchester United e era parceiro de copo de Lynott. Alguns personagens também aparecem como O álbum não poderia fechar de forma melhor, nesta obra-prima muito bem arquitetada por Lynott. A estrutura musical ficou perfeita com a dupla Gorham/Moore dando um show e Downey segurando tudo com muita competência. A letra muito bem escrita fomenta a imaginação e nos faz ver um filme com as cenas narradas por Lynott. Perfeita.

Thin Lizzy 1979: Gorham, Moore, Ltnott & Downey.

Assim chegamos ao fim deste clássico, e a banda encerra seu ciclo setentista que foi a fase de maior repercussão da banda. Thin Lizzy possui álbuns muito bons em sua discografia que merecem audição e com certeza irão aparecer por aqui no Mosh futuramente.

*Ficha técnica:

Banda: Thin Lizzy

Álbum – Black Rose: A Rock Legend

Data Lançamento – 13/04/1979

*Line-up:

Phil Lynott – Vocais/Baixo/Guitarra de 12 cordas

Gary Moore & Scott Gorham – Guitarras/backing vocais

Brian Downey – bateria

*Músicos adicionais

Jimmy Bain – baixo em With Love

Huey Lewis – harmonica em Sarah e With Love

Mark Nauseef – bateria em Sarah (oficialmente não creditado)

*Tracklist:

Lado A

01 – Do Anything You Want To 3:53

02 – Toughest Street in Town 4:01

03 – S & M 4:05

04 – Waiting for an Alibi 3:30

05 – Sarah 3:33

Lado B

06 – Got to Give It Up 4:24

07 – Get Out of Here 3:37

08 – With Love 4:38

09 – Róisín Dubh (Black Rose): A Rock Legend 7:06

I. Shenandoah

II. Will You Go Lassie Go

III. Danny Boy

IV. The Mason’s Apron

Tempo Total – 38:49

News · Reviews · Uncategorized

Postado em abril 23rd, 2024 @ 14:32 | 119 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»