fbpx
2 Dec 2023, 6:23 am

Mosh Classic  – Led Zeppelin – III (53 anos)


Por Emerson Mello

Depois de uma estreia bombástica com o Led Zeppelin I e lançando o II no mesmo ano, e toda agitação que veio em torno da banda, neste terceiro álbum a banda preferiu trabalhar de forma mais isolada em Headley Grange, uma casa de campo em Hampshire e o resultado foi que o álbum que trouxe muitas influências folk , o que na época deixou a crítica musical desorientada e gerou algumas críticas que não agradaram à banda, fato este que na época Page ficou 18 meses sem dar entrevistas. O álbum foi melhor compreendido com o tempo e não resta dúvidas que é um dos grandes clássicos na discografia do Zeppelin.

No primeiro álbum a banda trabalhou com o repertório dos shows e ensaios, enquanto o segundo foi praticamente composto em turnê, então de certa forma III foi o primeiro álbum em que eles pararam e puderam se concentrar exclusivamente em compor e criar algo com mais calma. Usando o estúdio móvel dos Rolling Stones a maioria do material foi gravado em Headley Grange, porém a banda utilizou também os estúdios Island Studios e Olympic Studios em Londres e a produção continuou nas mãos de Jimmy Page.

A arte da capa foi criada por Zacron (Richard Drew), um artista multimídia londrino que Page conheceu em 1963 quando estudava na Universidade de Kingston. A arte consistia em uma coleção surrealista de imagens em um fundo branco, relacionadas com aviação o que remete ao nome da banda com alguns zepelins espalhados aleatoriamente pela capa.. Após concluída Page ligou para Zacron pra agradecer e elogiar a arte que tinha achado ‘fantástica’, porém Zacron declarou mais tarde que o trabalho pra ele não foi satisfatório por questões de ‘prazo de entrega’. Apesar da declaração de Zacron, fato é que a capa é um belo trabalho e se tornou icônica na história da banda.

A maioria das composições foi feita por Plant & Page em Bron-Yr-Aur.

Falando das composições, elas ficaram mais concentradas na dupla Page/Plant com John Paul Jones dividindo a autoria com a dupla em três músicas e Bonham em uma. Tangerine é uma composição solo de Page enquanto Hats Off to (Roy) Harper é um arranjo da banda para a canção tradicional de Charles Obscure. Immigrant Song abre o álbum com o pé na porta, sendo uma das músicas mais pesadas da banda com um riff magistral de Page e apesar do termo não ser usada à época, ela é um Heavy Metal de respeito. A música se torna um desafio para os bateristas reproduzirem, devido a performance de Bonham no pedal do bumbo, peso e groove que ele imprime na música. Na letra Plant fala sobre a invasão dos vikings na Inglaterra, mas usando a primeira pessoa como se ele próprio estivesse narrando a história: “We came from the land/Of the ice and snow” ou “The hammer of the gods/Will drive our ships to new lands/To fight the horde, singing and crying/Valhalla, I am coming”. Desnecessário dizer que a música se tornou um clássico instantâneo da banda. Em Friends Page tira o violão da cartola enquanto Bonham vai pra percussão e John Paul Jones assina o maravilhoso arranjo de cordas que claramente tem contornos orientais, dando um tom bem interessante na coisa. Depois de começar acelerando em Immigrant Song a banda dá esta ‘quebrada’ em Friends pra retomar a ‘eletricidade’ em Celebration Day onde começamos com John Paul Jones brincando com o Moog até a entrada do riff de guitarra de Page. Aqui temos de volta o Led Zepellin ‘normal’ no seu formato mais clássico, com Page utilizando diversas camadas de guitarras.

Na sequência temos Since I’ve Been Loving You, considerada por muitos o maior Blues já feito na face da Terra. Reza a lenda que a base dela foi gravada no primeiro take ao vivo no estúdio e mais tarde John Paul Jones acrescentou alguns overdubs. Realmente o sentimento que emana desta música é algo único, inexplicável, daqueles momentos raros e mágicos que são impossíveis de serem reproduzidos e que ficam imortalizados. A letra é tipicamente um Blues falando de um relacionamento conturbado, isto fica nítido em frases como “‘ve really been the best, the best of fools”, “Since I’ve been loving you/I’m about to lose my worried mind” e “Said I’ve been crying, yeah, yeah/Oh, my tears, they fell like rain” e a emoção vai crescendo com uma interpretação magistral de Plant. Não posso deixar de mencionar o belíssimo solo de Page e toda assessoria de JPJ no órgão com uma moldura belíssima nesta incontestável obra-prima. Ela por si só já valeria o disco.

Out on the Tiles encerra o primeiro lado, uma música que parece ter saído do II, Bonham conduz com maestria e o refrão cativa. Estamos no lado B e temos Gallows Pole trazendo a influência folk, narrando a história de um homem que está tentando escapar da forca nos seus últimos minutos de vida. A música é um arranjo adaptado da original The Maid Freed from the Gallows com destaque para o arranjo de mandolim de JPJ. Tangerine é uma singela balada escrita por Page em 1968 quando ainda ele era dos Yardbirds. A música parece ter de alguma forma influenciado James Hetfield do Metallica na composição de Mama Said, pois dá pra perceber algumas similaridades entre elas. Ouçam e tirem suas conclusões. That’s the Way é uma das minhas preferidas do disco, originalmente se chamaria The Boy Next Door e foi escrita em Bron-Yr-Aur. Totalmente acústica, ela fala do problema de relacionamento de duas pessoas envolvidos com interferências familiares. Bron-Y-Aur Stomp segue com as influencias folk e fechamos o álbum com o Blues acústico Hats Off to (Roy) Harper.

A banda surpreendeu os fãs e a crítica no Led Zeppelin III.

III não compreendido pela crítica na época que acusaram a banda de várias coisas, inclusive de ser um pastiche de Crosby, Still & Nash. Page declarou que “Em retrospecto, posso ver como se alguém visse Led Zeppelin III, que era tão diferente do que tínhamos feito antes, e eles tinham apenas um curto período de tempo para analisá-lo na vitrola do escritório, em seguida, eles perderam o conteúdo. Eles estavam com pressa e eles estavam procurando o novo “Whole Lotta Love” e não ouviram que o realmente estava lá. Era muito novo para eles e eles não conseguiram o enredo. Assim, em retrospecto, não me surpreende que a diversidade e amplitude do que estávamos fazendo era ignorado ou subestimado na época”. A verdade é que o Led Zeppelin nunca fez o que se esperava deles e sempre tentaram criar algo novo e surpreender o público e desafiar a si próprios, enquanto a crítica esperava um Whola Lotta Love 2 eles vieram com este álbum incrível e o tempo mostrou que eles estavam certos. Obrigado Led Zeppelin.

*Ficha técnica

Banda – Led Zeppelin

Álbum – III

Lançamento – 05/10/1970

*Line-up

Robert Plant – vocais/gaita

Jimmy Page – guitarra

John Paul Jones – Baixo/teclados (Hammond,Moog)/mandolin

John Bonham – Bateria/percussão

*Músicas

Lado A

01 – Immigrant Song 2:26

02 – Friends –  3:55

03 – Celebration Day 3:29

04 – Since I’ve Been Loving You 7:25

05 – Out on the Tiles 4:04

Lado B

06 – Gallows Pole 4:58

07 – Tangerine 3:12

08 – That’s the Way 5:38

09 – Bron-Y-Aur Stomp 4:20

10 – Hats Off to (Roy) Harper 3:41

Tempo total: 43’04”

News · Reviews

Postado em outubro 5th, 2023 @ 08:30 | 211 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»