fbpx
2 Mar 2024, 9:42 pm

Mosh Interview com Outono


Com a reformulação do The Secret Society nasceu o Outono, uma banda bem interessante que continua focada no post punk, mas ainda agregou mais referências musicais e continua seguindo em frente. Pra entender este momento conversamos com o baixista e vocalista Guto Diaz. Confiram!

Por Emerson Mello

FM – Impossível não começar esta entrevista perguntando o que levou a saída do baterista Orlando, visto que a banda Outono tem praticamente a mesma base do The Secret Society, porém com um novo baterista.

Guto DiazO que levou a saída do antigo baterista foi que ele estava focado em projetos pessoais e não tinha tempo para se dedicar a banda, e o principal é que ele não gostava de compor e nem ensaiar.

FM – Existia todo um trabalho que estava evoluindo em cima da marca, do conceito do nome The Secret Society e fomos surpreendidos por esta ruptura e nascimento de um novo nome. Como se deu e o que levou a esta transição? Foi realmente necessário começar do zero?

Guto Diaz – O fato de existirem outras bandas homônimas a The Secret Society nas plataformas digitais estava atrapalhando todo o processo de consolidação do nome.  Portanto a ideia de mudar de nome já estava em nossos planos desde o fim de 2019, com a saída do baterista achamos que seria o momento ideal para essa transição.

FM – Como ficam as músicas do repertório anterior? Serão trazidas pro repertório do Outono? Ou o Outono é realmente um novo começo?

Guto Diaz – A banda é a mesma somente com um nome diferente, seguimos tocando as músicas do álbum Rites Of Fire misturando com as que foram escritas com a nova formação, todas as músicas da Secret Society são nossas, os únicos compositores sempre foram eu e o Fabiano Cavassin. Dá pra dizer que o O U T O N O é um começo de uma nova fase para a banda, com a nova formação estamos mais coesos e as novas composições refletem esse momento.

A bela logo da banda desenvolvida por Marcos Renne Steffens

FM – Qual o conceito por trás do nome Outono?

Guto Diaz – Quando decidimos finalmente mudar o nome, fizemos um “brainstorm” e várias ideias foram colocadas na mesa. Queríamos um nome que transmitisse o clima soturno da banda, e a escolha de O U T O N O caiu perfeitamente, pois é nossa estação do ano preferida e que representa sempre um novo começo, a renovação, as velhas folhas que caem para dar início ao novo.

FM – Em relação a escolha do nome, não existe o receio de serem confundidos com os veteranos paulistanos do Violeta de Outono?

Guto Diaz – Não temos esse receio e creio que não vai gerar nenhuma confusão com o Violeta de Outono, que inclusive admiramos muito e é uma grande influência da O U T O N O.

FM – A sonoridade britânica do dark wave e post-punk é muito nítida no som da banda. Quem seriam seus músicos/bandas preferidos?

Guto Diaz – Nossas influências são inúmeras e passam por todos os estilos imagináveis. Eu vim do thrash metal dos anos 80, mas com o tempo fui assimilando todo tipo de influências, desde o rock clássico, heavy metal, hard rock, música industrial, eletrônica e principalmente o pós-punk dos anos 80, o dark wave e o synth pop. Cada um da banda traz na bagagem um pouco de tudo que ouviu durante a vida, o que acaba se misturando num caldeirão de influências que faz o som da O U T O N O ter um pouco de tudo e ainda assim soar original.

FM – Muitas bandas escolhem o inglês pra suas composições, pois se sentem mais a vontade na sonoridade desta língua. Apesar desta escolha o nome da banda ficou em português. Qual mercado que a banda pretende focar mais: o nacional ou o estrangeiro?

Guto Diaz – Nunca tive a pretensão de cantar em português, mas também não descarto essa ideia. No caso do nome O U T O N O achamos que por ser uma palavra diferente, com repetições de vogais, poderia soar interessante em todas as línguas em que fosse falada.

FM – Até o momento a banda lançou quatro singles. Existem planos para um trabalho full, ou a banda pretende trabalhar apenas no formato single mesmo?

Guto Diaz – Por enquanto vamos seguir lançando mais alguns singles e também lyric videos e vídeo clipes. É claro que queremos lançar um full album num futuro breve, mas no momento preferimos seguir fazendo que o nome da banda seja mais conhecido com o lançamento desses singles.

FM – The Night of the Hunter é inspirado no filme homônimo lançado em 1955 com Robert Mitchum. Vocês curtem cinema, até que ponto isto influencia a música de vocês?

Guto Diaz – Influência muito. O cinema, a literatura e todas as outras formas de arte (e também a realidade a nossa volta) são uma grande fonte de inspiração quando vou escrever as letras das músicas.

FM – Ainda falando em cinema, que filme ou personagem daria um excelente tema de música, que de repente vocês podem se inspirar no futuro?

Guto Diaz – Nossa, existem muitos filmes e personagens que dariam uma boa letra de música. Acho que o caçador de androides Bladerunner seria uma grande inspiração para uma letra.

FM – O cuidado da banda com a parte gráfica é visível. A logo da banda ficou simples e ao mesmo tempo sofisticada. Minimalista e marcante. Quem foi o artista responsável por esta criação? Vocês já tinham algo em mente?

Guto Diaz – Quem criou a logomarca foi nosso amigo Marcos Renne Steffens. Nós não tínhamos nada em mente além do nome. Quando ele nós apresentou as artes ficamos boquiabertos, ficou perfeita, simples e sofisticada e passou exatamente o que queríamos.

FM – Em termos de sonoridade o Outono está um pouco mais soturno e também explorando mais o recurso dos teclados, o que dá mais textura na sonoridade e também mais possibilidades pra explorar. Como ficarão as músicas ao vivo, terão um músico acompanhando a banda?

Guto Diaz – Não conseguimos fugir da sonoridade soturna, acho que o fato de vivermos numa cidade fria como Curitiba ajuda bastante nesse aspecto. Em relação aos teclados e arranjos, usamos pistas pré gravadas que complementam a sonoridade da banda ao vivo.

Capa do single Brighter Than the Sun

FM – Na Brighter Than the Sun a participação do teclado é bem marcante. Quem foi responsável pelos arranjos dos teclados? Tiveram contribuição externa neles?

Guto Diaz – Todos os arranjos das músicas foram compostos e tocados por mim e pelo Fabiano Cavassin.

FM – “Strange figures beckon/when the evening falls”. A noite é sempre mais estranha e misteriosa?

Guto Diaz – Com certeza, a noite é muito mais interessante, A gente se identifica mais com as Criaturas da Noite. Em Shades Before Dawn fazemos  uma metáfora dessas “criaturas” com os excluídos, os párias, aqueles que são mal vistos pela sociedade e pelo sistema.

FM – Como giram as temáticas do Outono? Quais são os temas que vocês gostam de falar?

Guto Diaz – Não existe exatamente um tema a seguir, as ideias vêm surgindo e eu vou escrevendo, tenho um caderno com diversos esboços, títulos imaginários de músicas, palavras e frases soltas, e também letras completas (que ainda não encontraram a sua música). Quando vamos compor, eu pego esse caderno e vejo se algo combina com o clima da música que estamos escrevendo e assim a música vai se desenvolvendo juntamente com as letras.

FM – Como é o processo de composição? É colaborativo, todos trazem ideias, ou alguém já chega com tudo pronto?

Guto Diaz – Acontece de todas as maneiras possíveis e é bem colaborativo, algumas vezes chegamos com uma ideia quase totalmente pronta e em outras apenas um riff ou uma ideia de batida e ritmo e vamos trabalhando juntos no estúdio. Algumas vezes a música sai já no primeiro ensaio e em outras ficamos meses trabalhando até chegarmos no produto final.

FM – Como estão os shows, qual o planejamento da banda em relação a isso?

Guto Diaz – Os shows estão começando a acontecer, até o momento só fizemos apresentações em Curitiba. Nosso próximo show é dia 03/08 no festival Tenda Experience aqui em Curitiba no espaço Tork N Roll. Mas queremos apresentar o trabalho em outras cidades muito em breve.

FM – Com toda essa mudança, como estão sentindo a receptividade do público em relação ao Outono?

Com nome e line up reformulados, a banda segue firme.

Guto Diaz – Até o momento estamos tendo uma ótima recepção do público e crítica em relação aos singles lançados e não vemos a hora de apresentar os próximos lançamentos.

FM – Quais os planos e projetos para o futuro?

Guto Diaz – Tocar mais, lançar os próximos singles e o tão esperado Full Album!!!

FM – Espaço livre para o recado de vocês.

Guto Diaz – Gostaríamos de convidar todos a acompanharem a O U T O N O nas redes sociais e também nas plataformas digitais pra conhecerem melhor o nosso trabalho. Além dos 4 singles já lançados em todas as plataformas de streaming, temos um clipe e  lyric vídeos no Youtube. Também sugerimos dar uma conferida no álbum Rites Of Fire e nos vídeo clipes da The Secret Society.

*Line up:

Guto Diaz – Voz/Baixo
Fabiano Cavassin – Guitarra
Wlad Zechner – Bateria.

*Discografia

-Shades Before Dawn (single)

-Brighter Than the Sun (single)

-Confessional (single)

-Night of the Hunter (single)

*Redes Sociais

-Instagram – https://www.instagram.com/outono_band/

-You tube – https://www.youtube.com/channel/UCDWqQ_ju1RLKMItrSjZVGNg

*Contato

primalogy@hotmail.com

-(41)99934-6929

Interview · News · Underground

Postado em julho 22nd, 2023 @ 09:11 | 396 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»