fbpx
16 Apr 2024, 12:45 pm

Album Review: Judas Priest – Invincible Shield – Mais uma aula de Metal dos Metal Gods


Por Emerson Mello

Estando tantos anos no mercado musical e sendo um dos ícones do estilo, a vida dos medalhões nunca é fácil. Com uma legião de fãs exigentes a cobrança é sempre forte e a chegada de um novo lançamento é sempre cercada de muita expectativa. Não poderia ser diferente com os veteranos do Judas, lançando seu décimo nono de estúdio. A banda já veio esquentando as turbinas com o lançamento dos singles ‘Panic Attack’ e ‘Trail By Fire’ ainda em 2023, que já tiveram excelente receptividade e criaram uma expectativa muito boa para o álbum. Invincible Shield chega ao mundo oficialmente no dia 6 de março, 50 anos após o lançamento do álbum de estreia Rocka Rolla. Sinceramente a banda não sentiu nada o peso destes 50 anos, segue firme produzindo e entregando excelentes álbuns e fazendo grandes apresentações ao vivo. O álbum anterior Firepower (2018) também foi outro excelente álbum e a banda continua olhando pra frente e ainda está com gás pra seguir adiante. A arte da capa ficou por conta do renomado Mark Wilkinson, autor da capa de Painkiller e que também fez a arte de Book of Souls do Iron Maiden, e as icônicas capas do Marillion. Desta vez a banda optou por algo mais simples, seguindo a tendência de design mais atual.

Desde 2018 afastado dos palcos devido a doença de Parkinson, o mestre Glenn Tipton continua participando ativamente nos bastidores, compondo e gravando, sendo junto ao baixista Ian Hill, o único membro que gravou todos os álbuns da banda. Richie Faulkner que está na banda desde 2011, quando substituiu o membro fundador KK Downing, participa ativamente das composições, fechando o trio de compositores junto a Rob Halford, então basicamente a banda manteve a mesma dinâmica do álbum anterior Firepower, tendo Andy Sneap como produtor, sendo que nas turnês ele completa a dupla de guitarra com Faulkner. A cozinha segue com Scott Travis e Ian Hill, sendo este uma figura mais discreta, mas não menos importante, estando desde início da banda, sendo cofundador ao lado KK Downing.

Do alto dos seus 72 anos Halford continua sendo um dos maiores vocalistas do Metal na atualidade.

A música que abre o álbum é Panic Attack, escolhida pra ser o primeiro single, lançada em outubro de 2023. Ela começa com um riff interessante, um som que lembra um sintetizador e com uma leve pegada progressiva, o que dá um clima diferente e logo a banda entra com todo peso iniciando a jornada de Invincible Shield. Halford mostra que a idade não pesou e vem na sua performance vocal clássica, alternando os graves com os agudos característicos e o refrão forte “PANIC ATTACK PANIC ATTACK” fixa na mente de primeira. As guitarras vêm quebrando tudo no solo e Scott Travis mostra que continua sendo mestre nos dois bumbos tocando numa velocidade assustadora. The Serpent and the King,foi o quarto single do álbum lançado em fevereiro deste ano e já entra com um riff quente e com Halford mandando ver no ‘drive’ e dobrando os vocais no refrão. Está com certeza será uma que ao vivo vai deixar muitos pescoços com torcicolo! Terceira música do álbum é a faixa título, mantendo a pegada das duas primeiras, rápida e com um riff rápido. Temos aqui um trabalho de guitarras muito bom, com um dueto no melhor estilo NWOBHM. Devil in Disguise vem numa levada midtempo, mais cadenciada. Gates of Hell segue mais ou menos a linha de Devil is Disguise com menos velocidade e mais melodia. Assim como ao longo do álbum, os solos são muito bons e inspirados, confirmando um excelente trabalho de guitarra no álbum.

Crown of Horns foi outro single e traz um pouco de inovação à música do Judas em seu riff inicial seguindo mais cadenciada com uma melodia vocal cativante. Outro single muito bem escolhido, sendo um dos pontos altos do álbum. As God is my Witness caberia perfeitamente no Painkiller, com um riff rápido e cortante e uma levada animal de bumbo duplo de Travis. Nos solos mais um show de guitarras. Escape from Reality traz talvez o riff mais pesado do álbum, num levada mais cadenciada e que dá espaço para o baixista Ian Hill aparecer mais. A interpretação de Halford nesta música em alguns momentos me lembrou a linha vocal do Ozzy nos idos dos anos 1970 no Black Sabbath.  Giants in the Sky fecha em grande estilo, tendo uma bela passagem de violão no meio da música com um resultado realmente muito bonito.

Após 50 anos do primeiro disco Rocka Rolla a banda continua relevante no cenário do Metal.

As bandas veteranas sofrem pressão dos seus fãs pra não mudarem o seu som característico, ao mesmo tempo que são crucificados por muitos quando não trazem ‘inovação’. O Judas nunca ligou muito pra isso, sempre se arriscaram e se desafiaram musicalmente, mesmo quando tiveram resultados criticados, como aconteceu no álbum Turbo (1986), mas por outro lado deram ao mundo a obra-prima Painkiller (1990), considerado por muitos o melhor da banda. Em Invincible Shield é possível perceber alguns elementos inovadores, em músicas como Panic Attack e Crown of Horns mantem a pegada do velho Judas, mas por outro lado trazem um certo frescor na concepção e execução dos riffs, assim como nos efeitos de guitarra, trazendo um efeito bem interessante e um toque de atualidade na sonoridade, sem que isso comprometa as raízes da banda. De maneira geral achei o disco um mix entre os álbuns Painkiller e Firepower, trazendo um pouco da agressividade do primeiro e a melodia do segundo, principalmente nos refrões, e adicionado a um pouco de inovação dão o tom deste Invincible Shield e com certeza sendo um grande álbum.

Sendo assim senhores e senhores, já temos aqui o melhor álbum de 2024. Agora as outras bandas que corram atrás e façam melhor pra superar os Metal Gods. Quem ganha somos nós, amantes do Metal e da boa música.

*Line-up

Rob Halford – vocais

Glenn Tipton & Richie Faulkner – guitarras

Ian Hill – baixo

Scott Travis – bateria

Andy Sneap – guitarras adicionais, produção, mixagem, masterização

*Músicas:

01 – Panic Attack 5:25

02 – The Serpent and the King 4:19

03 – Invincible Shield 6:21

04 – Devil in Disguise 4:46

05 – Gates of Hell 4:38

06 – Crown of Horns 5:45

07 – As God Is My Witness 4:36

08 – Trial by Fire 4:21

09 – Escape from Reality 4:24

10 – Sons of Thunder 2:58

11 – Giants in the Sky 5:03

Tempo Total – 52:36

*Edição de luxo (faixas bônus)

12 – Fight of Your Life 4:19

13 – Vicious Circle 3:01

14 – The Lodger 3:52

Tempo Total – 63:48

News · Reviews

Postado em março 17th, 2024 @ 18:23 | 182 views
–> –>


Notícias mais lidas
«
»